Chanel Resort 2018

Para apresentar o Resort 2018 da Chanel Karl Lagerfeld levou sua audiência fashionista para a Grécia Antiga! Para ser mais específica,  a locação do desfile foi um Elysian “na mitologia clássica, o paraíso reservado aos heróis imortalizados pelos deuses”, uma ruína grega.

Em uma nota, o Kaiser falou sobre a inspiração por trás da coleção: “Os critérios de beleza na Grécia Antiga, e em seguida, Clássica ainda é verdadeira. Nunca houve representações mais belas das mulheres. Ou mais belas colunas. Toda a Renascença, de fato, era baseada na antiguidade.”

Segundo a Vogue Americana, “Lagerfeld era uma Grécia antiga imaginada no presente sem pretensões ao literal”.  Isso porque as roupas foram inspiradas na Grécia antiga e tinham o ar clássico da Chanel  mas ao mesmo tempo eram muito atuais.Entre os 86 looks haviam vestidos de deusa de malha, conjuntinhos de tweed e couro, suéteres estampados e saias plissadas ou com babados, um pouco de transparência com renda, estampas de flores douradas, muitos bordados brilhantes e listras. As peças vieram em tons pastéis, terrosos, verde, laranja, amarelo, azul, of white, preto e nude.O beachwear estava incrível! Uma modelo usou um biquíne branco tomara-que-caia de cintura alta e a outra um maiô preto, ambas com saída de banho estampada e transparente por cima.Obviamente não poderiam faltar as sandálias gladiadoras – que vieram seguindo a cartela de cores do desfile –  headbands, braceletes, brincos e amontoados de colares, a maioria com muito ouro e prata. Ele também fez luvas – algumas com tiras de couro e outras bordadas com pedras brlhantes – bolsas saco, clutches e uma tiracolo bicolor.Fotos: Vogue.

Anúncios

Christian Dior Outono 2017 – PFW

O célebre estilista e criador da maison, poderia traduzir o desfile em uma frase. “Entre todas as cores, azul marinho, é o único que pode competir com preto, tem todas as mesmas qualidades.”  O preto e o azul marinho dominaram a passarela. Maria Grazia Chiuri continua a imprimir nas linhas delicadas da grife francesa, uma pegada rocker, seria mais um modo de reiterar o seu “We Should All Be Feminists”? Fato é que, dessa vez a Dior decidiu ir de encontro ao jeans, sem deixar a alfaitaria de lado, o que na minha humilde opinião, foi uma ótima sacada, porque mostra uma mulher mais urbana e independente. A boina que surgiu como acessório destaque da temporada, trouxe seriedade, como se as modelos estivessem prestes a entrar em guerra, a qualquer momento! Destaque para o ombré de azul marinho, que embelezou muitas das roupas ao estilo red carpet, além do veludo molhado. Babados também marcaram presença na passarela. Alguns looks seguem a temática estelar/lunática que apareceu em sua última coleção. O que acharam?

Fotos: Vogue.